CHAPADA DIAMANTINA

 

 

LENÇÓIS

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Capital turística da Chapada, Lençóis é a base perfeita para quem quer ver muito e se cansar pouco. O layout é de cidadezinha histórica mineira, mas o astral é definitivamente baiano. Os 12 km que separam a vila da BR 242 garantem a tranqüilidade do lugar: Lençóis não é ponto de passagem. Todas as agências tem lojinhas próximas umas às outras, abertas até a hora do jantar, o que facilita se encaixar nos passeios para o dia seguinte. Nas férias a cidade costuma lotar; fora de temporada, tem a animação na medida certa (é mais animada no dia de chegada dos vôos e no dia seguinte, antes de parte dos recém-chegados sair para outras bases).

 

lencois

A cidade a noite é super agitada, cheio de restaurantes bacanas, ruazinhas estreitas de pedra, excelente pra você chegar de um passeio e se jogar em um dos barzinhos descolados pra tomar uma cerveja gelada ou um suco natural.

Lençóis fica no interior da Bahia, a 412 km de Salvador. Foi fundada no século XIX, quando houve a descoberta de jazidas de diamante na cidade vizinha de Mucugê. As jazidas foram altamente exploradas e o ciclo do garimpo acabou, mas deixou uma grande herança: a descoberta de grutas e cachoeiras em toda a Chapada.  No entanto, o turismo ecológico na região só começou a se consolidar na década de 1970. Em 1973 Lençóis foi tombada pelo Patrimônio Histórico e hoje é a principal “porta de entrada” de visitantes da Chapada.

MORRO DO CAMELO

entardecer

Com o cume a 1 090 metros acima do nível do mar e uma altura de 170 metros a partir da base, o Morro do Camelo ficou famoso por ter sido cenário de abertura da novela Pedra sobre Pedra, exibida com sucesso pela Rede Globo de Televisão. Suas formas permitem duas interpretações aos observadores: visto da BR-242, em direção a Seabra, o gigante rochoso justifica seu nome, lembrando, de fato, um camelo. Observado-o a partir do seu vizinho não menos famoso, o Morro do Pai Inácio, a disposição das suas rochas faz referência ao busto de uma mulher deitada, com o rosto virado para o lado oposto ao de quem a observa.

Quem começa a estudar a Chapada Diamantina logo se dá conta de que… não vai dar conta. É difícil tirar férias longas o suficiente para acomodar tantas cachoeiras, grutas, poços, riozinhos, trekkings e cidadezinhas pitorescas numa viagem só.

Mas não se preocupe. Se a Chapada for o seu número, você vai voltar outras vezes, pois as paisagens são fantásticas.

morro do camelo

A Chapada Diamantina é uma região de serras, protegida pelo Parque Nacional da Chapada Diamantina, situada no centro do estado brasileiro da Bahia, onde nascem quase todos os rios das bacias do Paraguaçu, do Jacuípe e do Rio de Contas. Essas correntes de águas brotam nos cumes e deslizam pelo relevo em belos regatos, despencam em borbulhantes cachoeiras e formam transparentes piscinas naturais. O parque nacional é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

A vegetação é exuberante, composta de espécies da caatinga semi-árida e da flora serrana, com destaque para as bromélias, orquídeas e sempre-vivas.

Poço do Diabo

Uma opção para a parte da tarde é conhecer o Poço do Diabo. Localizado na estrada que liga a cidade de Lençóis a Iraquara, esse lugar é muito frequentado por visitantes que curtem um passeio mais radical. E como o nosso guia era um cara muito legal o guia  Daniel,da agência (ZEN TUR), todos nós entramos para nadar, é meio fundo você precisa saber nadar.

POÇO DO DIABO

GRUTA AZUL

GRUTA AZUL

A Gruta Azul é assim chamada devido a presença de minerais  em sua água. Quando a luz do sol bate sob a água é possível ver sua cor incrivelmente azulada. Para se ter essa visão é preciso visitar a Gruta das 11h às 13h, que é quando alguns raios de sol iluminam a gruta por meio de sua estreita entrada .

grutaazul1

Magnífico a cor da água, que beleza natural !!!

GRUTA DA PRATINHA

GRUTA pLATINHA

Na direção oposta está o caminho para o Pratinha. Trata-se de uma caminhada de 5 minutos até se ter a primeira visão do Lago. Em sua margem , existem várias mesas e cadeiras de plástico e um bar que serve apenas coxinhas e salgadinhos. A cor da água é simplesmente azul turquesa.

A Gruta da Pratinha e sua água verde claríssima são lindas, principalmente na entrada, com a vegetação descendo pelas rochas como uma cortina. Certamente vale a visita, mas gostamos de não pagar pela flutuação, já que a área reservada para isso parece ser pequena – um gasto extra que pode ficar de fora para quem está com o orçamento apertado. Em compensação, se instalar às margens do Lago da Pratinha e se sentir em uma praia do Caribe já está incluído no valor da entrada e é bom demais, uma das coisas que mais gostei para relaxar no calor da Chapada Diamantina. A água calminha tem temperatura de praia do nordeste e é muito limpa e transparente, uma delícia!

GRUTA DA FUMACINHA

Liberada para visitação há pouco tempo, é repleta de estalactites e estalagmites diferenciadas, que mais parecem gotas caindo do teto. Estreita, abafada e com pequenos salões, não é indicada para quem sofre de claustrofobia ou tem dificuldade de locomoção. Apesar do calor e dos tropeços nos degraus irregulares, vale a visita!
Atenção: vá de tênis – não é permitido o acesso calçando chinelos

 

GRUTA DA FUMACINHA1

GRUTA DA FUMACINHA2

 

CACHOEIRINHA

Ainda dentro do Parque do Serrano em Lençóis, seguindo cerca de um quilômetro em sentido à direita do Salão de Areias Coloridas está mais uma das muitas cachoeiras da Chapada Diamantina, a Cachoeirinha. Como o próprio nome diz, é uma pequena cachoeira, que apresenta pouco volume de queda d’água, porém, a Cachoeirinha em Lençóis, é ótima para se refrescar após as subidas e descidas das trilhas percorridas pelo Serrano. É uma das cachoeiras na Chapada Diamantina na Bahia mais disputadas pelas famílias que viajam com crianças, pois é fácil de chegar ao local.

A água transparente da Cachoeirinha no Parque Serrano da Chapada da Diamantina proporciona deliciosos momentos para relaxar.  Devido ser uma cachoeira pequena com pouco volume de água a cachoeira é rasa e é ideal para ficar de molho curtindo o visual do local e ainda se pode enxergar diversos peixinhos coloridos. E pra melhorar tem um cara que fica com uma caixa de isopor vendendo cerveja, agua e refrigerantes gelado do lado.

CACHOEIRINHA

CACHOEIRA RIBEIRÃO DO MEIO (ESQUIBUNDA)

A cachoeira fica relativamente dentro da cidade . Dá pra ir a pé e sem guia, pois a trilha é bem simples e fácil de fazer. São 2,5 km de caminhada até chegar a uma cachoeira de águas geladas e escuras devido aos resíduos de matéria orgânica que a correnteza vai levando rio abaixo. Tem muitas pedras, é preciso cuidado, tinha muita gente usando como escorregador, e eu é claro escorreguei também.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

 

MORRO DO PAI INÁCIO

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Visão exuberante de cima do morro, este roteiro é imperdível da Chapada Diamantina e que pode ser feito no mesmo dia que a Cachoeira do Mosquito é o Morro do Pai Inácio. Esse é o grande símbolo da Chapada Diamantina.

MORRO DO PAI INACIO1

O morro fica a aproximadamente 23km km do Centro de Lençóis na estrada em direção a Iraquara.  Após avistar o morro e entrar numa estrada de terra a direita, são mais 20 minutos de carro ou van até esse local, onde encontram-se muitos guias. No caso, fomos de Van logo de manhã com o guia Daniel.

MORRO DO PAI INACIO2

Segundo o nosso guia Daniel nos contou,a montanha tem esse nome devido à lenda de um escravo de uma das fazendas da região, o Inácio. Conta-se que ele era amante da esposa do senhorzinho. O patrão descobriu o caso e mandou seu capitão do mato matar Inácio. Conhecedor das montanhas da região, o escravo fugiu subindo o morro que hoje leva o seu nome, mas foi encurralado no topo pelos seus perseguidores. Inácio então pulou do alto do morro – ponto onde hoje é marcado por uma cruz. Mas a história não termina aqui.

O capitão do mato julgou que Inácio tinha morrido, mas como eu disse, o escravo era conhecedor do morro e tinha pulado em uma das pequenas fendas da rocha. Ele deu a volta e conta-se que muitos escravos ainda o viram fugindo entre as rochas do grande morro. Ainda hoje os guias da região fazem a representação da história no alto do morro assustando muitos visitantes desavisados. Bom se é verdade ou lenda não sabemos, mas achei super interessante.

DICAS DE COMO CHEGAR NA CHAPADA DIAMANTINA

Avião:

Eu fiz: Vôo SP/Salvador, ( Gol) e de lá peguei o ônibus Expresso Real até Lençóis, foi uma viagem super tranquila, ônibus confortável com ar condicionado, o percurso demora +- umas 6 hs, o motorista para somente para almoçar. O preço da passagem +- 71,73 reais cada trecho. ( abr/2015).

Tem 4 horários por dia, fui no horário das 7:00 chegando as 13:00 hs.

– Dois vôos por semana (5as e domingos) da TRIP/ AZUL fazendo a rota Salvador-Lençóis-Salvador (www.voeazul.com.br).

Carro: 

– Salvador: A melhor rota é Salvador- Feira de Santana- Ipirá- Itaberaba- Lençóis. Utilizamos a estrada do Feijão porque é há menos trânsito de carretas se comparada á BR-242.

– SP e MG: SP-MG(BH)- Sentido Sete Lagoas- Montes Claros- Janaúba- Porteirinha- Mato Verde- Monte Azul- Espinosa- Urandi- Guanambi- Caetité- Brumado (não entra na cidade)- Sussuarana (distrito)- Tanhaçú- Ituaçú- Barra da Estiva- Ibicoara- Mucugê- Andaraí- Lençóis.

– Brasília e Goiás: BR-020 e BR-349 sentido Bom Jesus da Lapa- Ibotirama- Seabra- Palmeiras- Lençóis.

Ônibus:

Recomendamos que cheguem em Lençóis ou Palmeiras/ Vale do Capão, pois o ônibus é mais confortável e a viagem mais curta com menos paradas no caminho.

Como chegar em Lençóis:

– Três ônibus por dia fazendo a rota Salvador-Lençóis-Salvador da REAL EXPRESSO (www.realexpresso.com.br). O ônibus é semi-leito, sendo bastante confortável com ar condicionado. Nós fomos com a Real Expresso, o motorista para para almoçar.

Como chegar em Palmeiras/ Vale do Capão:

– Três ônibus por dia fazendo a rota Salvador-Palmeiras-Salvador da REAL EXPRESSO (www.realexpresso.com.br). O ônibus é semi-leito, sendo bastante confortável. O ar-condicionado é muito forte, leve casaco e calça nessa viagem.

Para quem vai ao Vale do Capão há táxis na rodoviária de Palmeiras que transportam os viajantes pois não há transporte público.

Como chegar em Andaraí/ Igatú, Mucugê, Ibicoara:

A empresa que opera esses trechos é a Águia Branca (http://www.aguiabranca.com.br). Consulte o site para datas e horários.

 

Quando ir à Chapada Diamantina?

Não existe época desaconselhável para a Chapada. As chuvas de verão (novembro a janeiro) podem enlamear as trilhas, mas deixam as cachoeiras mais caudalosas. Entre março e maio, passadas as chuvas de verão, você vai encontrar a Chapada mais verde; e entre maio e setembro, dificilmente vai pegar alguma chuva. O meio do ano — entre maio e setembro — é também a época em que, nos dias claros, as grutas Azul, do Poço Azul e do Poço Encantado recebem a incidência de raios de sol que deixam suas águas azuladas.

ONDE FICAR?

Pousada da Trilha

Hotel Canto das Águas

ONDE COMER?

Restaurante Sabor da Terra

Sabores da Suzi

 

DICAS DE PASSEIO:

Um passeio super interessante, fiz e recomendo, finalizando o dia com um lindo por do sol no Morro do Pai Inácio é este:

GRUTAS:

Rio Mucugezinho – Poço do Diabo – Gruta da Fumacinha – Fazenda Pratinha (Gruta Azul e Gruta da Pratinha) – Morro do Pai Inácio.

Visita ao balneário do Mucugezinho, onde seguiremos por aproximadamente 40 minutos em uma trilha próxima ao leito do rio até o Poço do Diabo, o local é ideal para banho com direito a cachoeira e esportes de aventura como o rapel e tirolesa (opcionais).

Em seguida, viajaremos até a região rural do município de Iraquara, onde visitaremos a Gruta da Fumacinha, apreciaremos por cerca de 40 minutos formações de estalactites, estalagmites e vários espeleotemas raros.

Após visitarmos a Gruta da Fumacinha nos deliciaremos com um almoço típico sertanejo no Restaurante Casa de Farinha.

Ainda na região das Grutas, seguiremos para a Fazenda Pratinha. Neste local, desfrutaremos de um maravilhoso banho num lago de águas cristalinas, onde pode ser feito, como opcional, o passeio de flutuação dentro da Gruta da Pratinha e ainda conheceremos a Gruta Azul, que com a incidência da luz do sol, revela um brilho azulado em suas águas. É possível também se aventurar em passeio a cavalo, descida de tirolesa e remo com caiaque.

Ao final do roteiro, subiremos o Morro do Pai Inácio, onde teremos uma vista panorâmica dos chapadões mais imponentes da região em pleno pôr do sol.

Incluído: Guia local, transporte, alimentação (almoço), taxa de entrada nos atrativos e seguro contra acidentes.

Não Incluído: Bebidas e Esportes Radicais.

Distância total ida e volta: 140 km.

Duração: 1 dia.

Início do Roteiro: 08:30 h.

Término do Roteiro: 18:30 h.

Nível de Esforço: Leve.

Dica: http://www.zentur.tur.br –  (Agência de Turismo) melhor preço que encontrei.

http://www.realexpresso.com.br

Anúncios

2 comentários sobre “CHAPADA DIAMANTINA

    • Maria Angela disse:

      Olá, bom dia, sim eu recomendo este passeio de um dia é super tranquilo com guia experiente, fui em abr/2015, se não me engano paguei 115,00 reais +-, mas de uma confirmada no site das agencias. Obrigado !!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s